Botelho recebe reivindicações para melhorar o Centro de Equoterapia da UFMT

Projeto atende crianças com deficiências gratuitamente e o espaço precisa ser reformado para ampliar o número de atendimento

*Por Itimara Figueiredo

Apoio para reformar o Centro de Equoterapia da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, campus de Cuiabá, foi o tema da visita do deputado Eduardo Botelho, presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT, na ultima sexta-feira (14), no Centro de Equoterapia. Botelho foi recebido pelas professoras Lisiane Pereira de Jesus, que é a coordenadora do Projeto de Extensão de Equoterapia, e Juliana Schuller, coordenadora do Programa Paradesporto Brasil em Rede. Ele também conversou com alguns alunos e constatou in loco a necessidade da reforma.

Emocionado, o parlamentar confirmou que não medirá esforços para viabilizar as reivindicações. “Conheci o belíssimo trabalho realizado pelo Centro de Equoterapia da UFMT. Um serviço essencial para população cuiabana. Vamos trabalhar por ações que viabilizem as demandas do setor. Parabéns às professoras e toda equipe que contribuem no atendimento de equoterapia, método terapêutico que renova vidas”, garantiu Botelho.

De acordo com a professora Lisiane, o centro não tem arrecadação e conta com importantes parceiros que ajudam na alimentação dos animais, como a Uniselva e a Rico Rações. Os serviços de manejo e ferrageamento são realizados com recursos de editais de financiamento de projetos, mas são escassos.

“Oferecemos esse serviço gratuitamente para pessoas vulneráveis socioeconomicamente e pedimos o apoio do deputado para a infraestrutura. Desde que foi construído em 2019, o centro de Equoterapia ainda não recebeu nenhuma manutenção. Hoje temos cinco cavalos e a possibilidade de ganhar mais um animal, mas não temos o piquete para colocá-lo. Então, fazendo a reforma, poderemos melhorar o espaço, trocar a cerca, fazer pintura e, aumentar o nosso atendimento”, explicou Lisiane, ao destacar que há uma lista de espera de 100 pessoas com deficiência. “E o tempo de espera tem sido de oito a doze meses aproximadamente”, alertou.

EQUOTERAPIA – O Centro de Equoterapia é um programa de extensão que tem vários projetos vinculados. Foi inaugurado em 10 de maio de 2019 – Dia da Cavalaria e dia de Fundação da Ande Brasil, que é a Associação Nacional de Equoterapia.

Agradecida pela visita do deputado Botelho, a coordenadora do Programa Paradesporto Brasil em Rede, professora Juliana Schuller, vinculado à Faculdade de Educação Física da UFMT, informou que esse programa oferece cinco modalidades diferentes, para 70 pessoas com deficiência: atletismo, goalball, vôlei sentado, natação e a equoterapia. Somente a equoterapia pelo menos 15 crianças são atendidas.

“Foi sensacional ter o deputado Botelho em nosso espaço ouvindo sobre o nosso trabalho. Precisamos de ajuda em todas as modalidades. Uma das nossas principais necessidades é o transporte, para trazer as crianças à universidade, principalmente nas atividades coletivas. Também precisamos de alimentação para elas após o treino e o espaço da equoterapia precisa de reforma geral. Precisamos de apoio em todos os nossos projetos que atendem as crianças com deficiência: uniforme, transporte, alimentação, manutenção do espaço, porque sem isso não têm projetos e elas ficam desamparadas”, pediu Juliana.

A equoterapia é um método de reabilitação que utiliza cavalo em abordagem interdisciplinar nas áreas da saúde, educação e quitação visando o desenvolvimento biopsicossocial da pessoa com deficiência.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta