Câmara realiza workshop sobre Atendimento Inclusivo para servidores

A Câmara Municipal de Cuiabá com iniciativa da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão e apoio da Secretaria de Ações Institucionais realizou na manhã de sexta-feira (29) o 1º Workshop de Atendimento Inclusivo. A capacitação foi voltada aos servidores que realizam o atendimento ao público.

Entre as atividades desenvolvidas no workshop foram apresentadas técnicas práticas e recursos para um atendimento acessível e inclusivo. Profissionais do Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies) debateram com os participantes diversas experiências e a forma correta de atender pessoas que possuem alguma deficiência.

A professora do Casies, Cirbene Fátima da Cunha Oliveira, que ministrou a palestra, reforçou a importância de acolher as Pessoas com Deficiências (PcDs).

“Tivemos uma manhã muito produtiva. Realizamos este workshop para sensibilizar os funcionários da Casa quanto ao atendimento prestado as pessoas com deficiência. Foram feitas técnicas práticas e objetivas de como guiar pessoas com deficiência.”, disse a professora.

Marcos Manoel de Oliveira que também é professor do Casies, frisou que agora a Câmara está ainda mais preparada para fornecer um atendimento igualitário a todos os cidadãos.

“Agradecemos a oportunidade, viemos aqui para poder fazer a inclusão. E a Câmara pode continuar fazendo um belo trabalho”, reforçou o professor.

O auxiliar legislativo, José Carlos que também é portador de deficiência, contou que ficou muito feliz do Legislativo apoiar essa causa tão importante que visa trazer mais dignidade a todas as pessoas.

“Muito feliz pelo workshop promovido aqui na Câmara sobre acessibilidade e inclusão. Nós do segmento dos portadores com deficiência estamos muito felizes por essa Casa abraçar a nossa causa”, celebrou.

O servidor da Ouvidoria da Casa de Leis, Odenilton Junior, que é cego, foi quem teve a ideia da capacitação. Junior explicou que o intuito não é oferecer um atendimento exclusivo aos portadores de deficiências, mas sim, trazer igualdade na qualidade do serviço prestado.

“Temos o intuito de promover um atendimento mais acessível, inclusivo e digno às pessoas que estão aqui na instituição e as pessoas que buscam um atendimento aqui. Para que também sejam atendidos com a dignidade que cada um de nós merecemos”, explicou o servidor.

Novos treinamentos devem ser feitos com a mesma temática para que todos tenham a oportunidade de aprender sobre acessibilidade e inclusão. “Esse foi só o primeiro, a intenção é que tenham novas turmas nesse mesmo formato para que todos tenham a oportunidade de passar por esse processo de transformação de ideias, quebra de preconceitos e estereótipos que ainda circulam muito na sociedade”, concluiu Odenilton.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta