Antártica: pesquisadores polares vacinados atingidos pelo surto de Omicron a quilômetros da civilização

Pesquisadores polares da Antártica estão morando em um dos lugares mais remotos do mundo.

Dois terços da equipe baseada na Estação Polar Princesa Elisabeth da Bélgica pegaram a variante Omicron, de acordo com o jornal Le Soir.

Todos os funcionários foram aprovados em vários testes de PCR, colocados em quarentena e totalmente vacinados, sendo que um deles recebeu uma injeção de reforço.

Antes de partir para a estação, eles fizeram um teste de PCR duas horas antes de um vôo para a África do Sul.

Na África do Sul, eles ficaram em quarentena por dez dias antes de fazer outro teste de PCR.

Eles também foram testados antes de deixar a Cidade do Cabo para a Antártica e também um último cinco dias após a chegada.

Pesquisadores polares da Antártica estão morando em um dos lugares mais remotos do mundo.

Apenas um número relativamente pequeno de cientistas e equipe de apoio logístico vive em tempo integral no continente.

Uma pessoa testou positivo sete dias após a chegada em 14 de dezembro.

Embora a pessoa estivesse isolada, foi revelado que outras duas pessoas contraíram o vírus.

Os três foram evacuados em 23 de dezembro, mas o vírus continuou a se espalhar.

Nenhuma nova chegada será permitida na estação de pesquisa até que o surto termine.

O Secretariado Polar da Bélgica decidiu que a temporada de pesquisas será encurtada.

A equipe ficará na estação até janeiro, quando novas expedições chegarão.

Fonte: PLU 7 – noticias.plu7.com

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta