PGR defende prisão domiciliar a Roberto Jefferson

Ex-deputado está detido há duas semanas por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal

A Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu nesta sexta-feira, 27, no Supremo Tribunal Federal (STF), que o ex-deputado federal e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, seja posto em prisão domiciliar e monitorado com tornozeleira eletrônica.

Segundo a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, os supostos delitos praticados por Jefferson consistiriam em manifestações de opinião, especialmente por meio de mídias sociais, o que não caracteriza a necessidade de manter a prisão preventiva.

O ex-deputado está preso há duas semanas por ordem do ministro Alexandre de Moraes, relator de um inquérito que investiga supostas organizações criminosas que atuavam nas mídias sociais para atacar as instituições democráticas.

Jefferson está detido no Complexo de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, num setor específico para detentos com curso superior.

Quadro de saúde

A defesa do ex-parlamentar argumenta que seu quadro de saúde é delicado. Exames apresentados por Jefferson indicam uma angioplastia coronariana e crises recentes de pielonefrite (inflamação nos rins).

O pedido de habeas corpus está sob análise do ministro Luiz Edson Fachin.

Fonte: Revista Oeste (Por Edilson Salgueiro – revistaoeste.com)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta