Defesa do Consumidor estuda medida contra política de privacidade do WhatsApp

“A partir desta atualização, será oficializado o compartilhamento de dados pessoais com outras empresas do grupo econômico Facebook”

No ultimo domingo (10/1), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou que estuda medidas judiciais para garantir que usuários brasileiros, que não concordem com a política de privacidade do WhatsApp, possam permanecer no aplicativo. Na União Europeia e no Reino Unido, por exemplo, a empresa não poderá impor a medida.

A atualização dos termos de uso do aplicativo de mensagem, que entrará em vigor em fevereiro, já está sendo disponibilizada na plataforma. Os brasileiros já notificados são solicitados a ler e a “dar ok” para os novos termos.

A partir desta atualização, será oficializado o compartilhamento de dados pessoais com outras empresas do grupo econômico Facebook.

Segundo o Idec, não dar opções aos consumidores que restrinjam o compartilhamento de dados no Brasil é problemático e viola a liberdade do consumidor, uma vez que o aplicativo já virou ferramenta de trabalho da população.

Em resposta, o WhatsApp afirma que “usuários que não aceitarem as novas políticas até 8 de fevereiro de 2021 não perderão suas contas, mas precisarão concordar com as atualizações para usar”. Ou seja, a conta fica congelada até a pessoa aceitar a política.

Fonte: Terça Livre (Por Brehnno Galgane – tercalivre.com.br)

Deixe uma resposta