Mendes cita pesquisa interna e aponta França no segundo turno

Governador critica Emanuel Pinheiro e afirma que “Cuiabá precisa de um prefeito honesto, trabalhador”. Roberto França tem o governador Mauro Mendes como principal cabo eleitoral.

Maior cabo eleitoral do ex-prefeito Roberto França (Patriota) na corrida eleitoral em Cuiabá, o governador Mauro Mendes (DEM) preferiu não dar palpite sobre na troca de acusações entre seu aliado e o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), candidato à reeleição.

O democrata afirmou que não está acompanhando a troca de farpas entre os candidatos. Preferiu apostat que França estará no segundo turno da disputa.

“Eu sou governador, e não estrategista de programa eleitoral. Claro que tenho minhas leituras e percepções como cidadão e, até mesmo, como agente político e público. Mas, não faz parte do meu dia a dia ficar acompanhando”, afirmou o governador, nesta quarta-feira (28).

Desde a realização do primeiro debate entre os candidatos ao Palácio Alencastro, ao qual Pinheiro não compareceu, na TV Vila Real (Record), os dois candidatos vêm trocando acusações, principalmente no horário eleitoral gratuito.

Enquanto o prefeito explora supostas falhas de França no período em que ele foi prefeito – como atraso na folha de pagamento -, o candidato do Patriota relembra o “Escândalo do Paletó” e o afastamento de quatro integrantes do primeiro escalão municipal.

Para Mauro Mendes, a participação de França no segundo turno “já está se consolidando”.

Ele aponta como base para a previsão uma pesquisa de consumo interno.

“O Roberto tem experiência, é um homem que tem uma vida muito limpa em toda sua história e trajetória, e é do que Cuiabá precisa. Então, espero que Cuiabá compreenda isso. As pesquisas mostram que a grande maioria já compreendeu. Então, nós vamos acompanhar os resultados, mas eu vou trabalhar ajudar e torcer para que Roberto seja o próximo prefeito de Cuiabá”, disse o governador.

“Eu terei muito prazer eu ajudar Cuiabá novamente. Como prefeito que fui, amo essa cidade. Tenho o dever para com os 141 municípios. Por isso, estou fazendo alguns programas que serão tocados pelos municípios. E, para isso, precisamos de bons prefeitos, prefeito honesto e trabalhador. Eu vou ter muita dificuldade em conviver com qualquer prefeito que tenha uma fama de ser desonesto, que não trabalha corretamente”, completou.

Fonte: DC (Por Kamila Arruda)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta