Moraes determina que Weintraub preste depoimento à PF por crítica ao STF em reunião

No vídeo, Weintraub disse que prenderia os ministros do Supremo, se pudesse. “Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, disse ele.

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, tomou uma decisão nesta terça-feira (26) que deverá alimentar ainda mais atenção entre o poder Executivo e o Judiciário, ao determinar que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, preste depoimento à Polícia Federal no prazo de cinco dias.

A determinação de Moraes visa, segundo o ministro, esclarecer a crítica feita por Weintraub ao STF durante a reunião ministerial do dia 22 de abril. “Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, disse ele.

Moraes tomou a decisão no âmbito do inquérito das “fake news”, processo esse fortemente criticado por aliados do governo e proprietários de mídias alternativas, os quais acusam a intenção de se estabelecer uma ditadura da opinião no país.

“Diante do exposto, determino que Abraham Weintraub, atualmente exercendo o cargo de Ministro da Educação, seja ouvido pela Polícia Federal, no prazo máximo de 5 (cinco) dias para prestar esclarecimentos sobre a manifestação acima destacada”, escreveu Moraes, segundo O Tempo.

“A manifestação do Ministro da Educação revela-se gravíssima, pois, não só atinge a honorabilidade e constituiu ameaça ilegal à segurança dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, como também reveste-se de claro intuito de lesar a independência do Poder Judiciário e a manutenção do Estado de Direito”, detalhou Moraes.

A decisão de Moraes abre margem para mais uma polêmica envolvendo o Supremo Tribunal Federal, visto que a crítica feita por Weintraub se deu em um ambiente privado e durante uma reunião do poder Executivo, a qual jamais teria seu conteúdo exposto, senão por meio de ordem judicial do próprio STF, como foi o caso.

Fonte: Opinião Crítica (opiniaocritica.com.br)

Deixe uma resposta