Lava Jato prende operador de ‘doleiro dos doleiros’ no Rio de Janeiro

Mário Libman

Uma equipe da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, nesta terça-feira (9), o empresário Mario Libman. Assim como seu filho, Rafael Libman, que ainda é procurando, Mario é acusado de ser um dos operadores de Dario Messer, foragido e chamado de “o doleiro dos doleiros”. Pai e filho são investigados por lavagem de dinheiro.

Mario foi preso em seu apartamento em Ipanema, na zona sul da capital. Ele e Rafael eram sócios nas empresas Rali e Palazzo dos Artistas Empreendimentos Imobiliário, cuja sede fica em um shopping em Copacabana. Segundo as investigações, a empresa movimentou R$ 31,8 milhões entre 2011 a 2016.

Parte do dinheiro, recebido entre 2012 e 2014, foi usado por Mario Libman para pagar obras na cobertura de Messer no Leblon, e outra, de quase R$ 20 milhões, para comprar terrenos e construir imóveis no nome de suas empresas Rali e Palazzo dos Artistas. Três construtoras e três condomínios residenciais também foram pagos por meio do esquema.

Agentes do Ministério Público Federal (MPF), da Polícia Federal (PF) e da Receita Federal vão continuar procurando Rafael, que também teve a prisão temporária decretada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Segundo o juiz, “a filha de Messer, Denise, era casada com Rafael Libman, sendo Mario Libman pai desse. Outrossim, Mario Libman recebeu aportes no montante de R$ 31.834.654,00, entre os anos de 2011 a 2016, provenientes das contas Matriz e Cagarras, tendo o MPF acostado os extratos das contas listadas”. O magistrado acrescentou, ainda, que Mario “aparentemente estava responsável pela reforma da casa de Dario Messer”, fato confirmado pelo depoimento de sua secretária particular.

Bretas destaca, ainda, que Rafel conta, atualmente, com 18 apartamentos em áreas nobres do Rio e de São Paulo. “Dessa forma, é provável que Mario e Rafael Libman tenham auxiliado Messer na ocultação e dissimulação de capital, seja por meio da reforma na cobertura de Dario, sob responsabilidade de Mario; seja por meio da aquisição por Rafael de imóveis no RJ e em SP”, concluiu.

Operação Câmbio Desligo

A ação de fez parte da Operação Câmbio Desligo, que foi deflagrada em 3 de maio de 2018 contra um grandioso esquema de movimentação de recursos ilícitos no Brasil e no exterior por meio de operações dólar-cabo, entregas de dinheiro em espécie, pagamentos de boletos e compra e venda de cheques de comércio. A delação dos doleiros Vinícius Vieira Barreto Claret, o Juca Bala, e Cláudio Fernando Barbosa, o Tony, resultou na operação.

A ação tinha como principal alvo Dario Messer, apontado por Juca e Tony como controlador de um banco em Antígua e Barbuda. Ele está foragido desde maio de 2018 e tinha mais de 400 clientes em operações clandestinas com a moeda americana, entre eles o ex-governador Sergio Cabral.

Fonte: Jovem Pan – *Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta