Emanuel Pinheiro vira réu por recebimento de propina; Câmara vai votar pedido de cassação

Segundo consta na delação homologada do ex-governador Silval Barbosa, foi negociada a propina de R$ 600 mil para cada deputado

O juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal, acatou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro. Mais de três anos depois da veiculação em rede nacional do ‘vídeo do paletó’, que mostra o então deputado estadual recebendo propina no gabinete do ex-chefe de gabinete do governador, Silvio Corrêa, Emanuel Pinheiro vira oficialmente réu.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, Emanuel Pinheiro foi filmado enchendo os bolsos com R$ 50 mil em dezembro de 2013, quando “dirigiu-se até ao gabinete de Sílvio Cezar Corrêa Araújo, localizado na governadoria do Estado de Mato Grosso, ocasião na qual recebeu, a título de propina, a quantia de R$ 50 mil reais”.

Segundo consta na delação homologada do ex-governador Silval Barbosa, foi negociada a propina de R$ 600 mil para cada deputado, “como forma de garantir governabilidade e a aprovação das contas do governo, o qual seria honrado em 12 parcelas iguais e sucessivas de R$ 50 mil”.

A denúncia do MPF foi aceita pelo juiz Schneider na sexta-feira (11), às vésperas do anúncio oficial da candidatura do prefeito a reeleição.

“O crime ocorreu no contexto do acordo de pagamento de propina no montante de R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais), entabulado entre um grupo de deputados da AL/MT e o então governador SILVAL BARBOSA, como forma de garantir a governabilidade e a aprovação das contas do governo, o qual seria honrado em 12 (doze) parcelas iguais e sucessivas de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais)”, diz trecho da denúncia. “Dentro deste contexto, no ano de 2013, o denunciado EMANUEL PINHEIRO dirigiu-se até ao gabinete de SÍLVIO CEZAR CORREA ARAÚJO, localizado na governadoria do Estado de Mato Grosso, ocasião na qual recebeu, a título de propina, a quantia de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais)”.

A conduta criminosa do denunciado EMANUEL PINHEIRO, devidamente registrada em vídeo, é corroborada por trecho do Termo de Declarações 03 prestado por SÍLVIO CEZAR CORREA ARAÚJO:

“QUE o Declarante gravou cheques. cinco vídeos em que os deputados foram até seu gabinete receber os pagamentos do valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) que lhes cabiam, sendo que gravou o recebimento ou a tratativa dessas entregas para as pessoas de BAIANO FILHO, J. BARRETO, LUIZ MARINHO, EMANUEL PINHEIRO (atual Prefeito de Cuiabá), LUCIANE BEZERRA (atual prefeita de Juara), ALEXANDRE CESAR, GILMAR FABRIS, ANTONIO AZÀMBUJA, EZEQUIEL FONSECA (atual Deputado Federal), ZÉ DOMINGOS e AÍRTON RONDINA (AÍRTON PORTUGUÊS) os quais já foram entregues espontaneamente pelo Declarante ao MPF”.

Veja a integra  da transcrição do diálogo de Emanuel Pinheiro com Silvio Correa aqui: >>> Emanuel Pinheiro vira réu por recebimento de propina; Câmara vai votar pedido de cassação

Fonte: Caldeirão Político (Por Jô Navarro)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta