Sérgio Cabral é condenado pela oitava vez e soma 197 anos de prisão

Ex-governador do Rio é acusado de lavagem de dinheiro em esquema que teria lavado R$ 1,7 milhões; outras três pessoas também foram condenadas

Ex-governador do Rio Sérgio Cabral já soma 197 anos de prisão em condenações da Operação Lava Jato
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Ex-governador do Rio Sérgio Cabral já soma 197 anos de prisão em condenações da Operação Lava Jato

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) foi mais uma vez condenado no âmbito da Operação Lava-Jato do Rio nesta segunda-feira (3). Desta vez a pena foi de 14 anos e cinco meses de reclusão em regime fechado. No total, com as oito condenações, Cabral soma 197 anos e 11 meses de pena.

A sentença contra Sérgio Cabral foi proferida pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal e envolvia o crime de lavagem de dinheiro por empresas, como a FW Engenharia, para dar aparência lícita ao pagamento de R$ 1,7 milhão em propina .

Além do ex-governador , a ex-mulher e o irmão do ex-governador, Susana Neves Cabral e Maurício Cabral, também foram condenados. Susana terá de cumprir oito anos e quatro meses de prisão em regime fechado, e Maurício quatro anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto.

De acordo com a denúncia, o esquema teria lavado R$ 1,7 milhão em propina paga pela FW em contrapartida por benefícios em contratos firmados com o governo do Rio durante a gestão de Cabral. O MPF  alega na denúncia que o volume de contratos da empresa com o governo fluminense aumentou 37 vezes no período entre 2007 e 2014 e incluiu obras expressivas, como a urbanização do Complexo de Manguinhos.

As irregularidades motivaram operação deflagrada pela Polícia Federal em maio de 2017, ocasião na qual endereços ligados a Suzana Neves foram vasculhados. A ex-primeira-dama do Rio de Janeiro teria usado sua empresa (Araras Empreendimentos Consultoria e Serviços Ltda.) para ocultar a origem ilícita de R$ 1,2 milhão por meio de 31 transferências bancárias no período de 2011 a 2013.

As transações tinham como origem contas ligadas ao grupo de empresas da empreiteira FW Engenharia, por intermédio da Survey Mar e Serviços Ltda, e aportavam na conta da empresa de Suzana a título de “serviços de consultoria”, porém em valor quase duas vezes maior que a sua renda bruta declarada.

Considerando ações da Lava Jato e desdobramentos da operação, Sérgio Cabral já foi denunciado 26 vezes . Em oito delas, já foi condenado. Atualmente, ele está preso complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro. Em nenhuma delas, porém, o ex-governador foi absolvido até agora.

Fonte: Último Segundo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta