FEBRE AFTOSA: Começa 2ª etapa de vacinação em Mato Grosso

A estimativa é de que 13,6 milhões de animais, com ate 24 meses de idade, sejam vacinados nesse mês, no Estado

Começou em Mato Grosso mais uma etapa de vacinação contra a febre aftosa e a brucelose. Até o dia 30 desse mês cerca de 13,6 milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade deverão ser vacinados durante a segunda etapa do calendário de combate às doenças.

De acordo com a presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea/MT), Daniella Bueno, “após a imunização do rebanho, o produtor deve fazer a declaração da vacinação com a contagem dos animais por idade e sexo, juntamente da Nota Fiscal da compra das vacinas e apresentar no Indea do seu município, até o dia 10 de dezembro”.

A exceção fica para as propriedades localizadas no baixo Pantanal mato-grossense. Nesta etapa é obrigatória a imunização de todos os bovinos e bubalinos, de mamando a caducando. O prazo é de 1º de novembro a 15 de dezembro para vacinar e comunicar a vacinação junto ao Indea.

A multa para quem deixar de vacinar o rebanho dentro do período da campanha é de 1 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

Em maio deste ano, o Brasil foi reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), como país livre de febre aftosa com vacinação. E está em andamento o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), que prevê a implementação de ações para a retirada da vacinação até 2023.

A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. Segundo Daniella Bueno, a última vacinação a ser realizada no Estado será em maio de 2021, porém, já em 2019 cerca de 300 mil animais terão a última vacinação. “Estamos caminhando para a retirada da vacinação, mas até lá nós temos que continuar com os índices de vacinação acima de 99% para darmos garantia ao mercado exportador de que somos livres da doença e competentes no que fazemos”.

Para o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Duarte Soares, este é um momento muito importante para o setor produtivo, haja vista as conquistas nos últimos anos. “A conquista de mercados para os nossos produtos foi graças ao reconhecimento desse trabalho, exportamos para mais 150 países. E os índices de vacinação mostram o comprometimento da defesa agropecuária e da responsabilidade do setor produtivo”.

O evento contou com a presença dos servidores da Unidade Local de Execução e Unidade de Supervisão Regional do Indea em Rondonópolis, do diretor técnico do Indea, Thiago Augusto Tunes, do gerente regional de Rondonópolis, Ricardo Oliveira Alves, do vereador Gilberto Lima dos Santos (Beto do Amendoim), representantes da Empaer e de revendas agropecuárias.

BRUCELOSE – O produtor pode aproveitar o manejo do rebanho para vacinar as fêmeas com idade de 03 a 08 meses contra brucelose. A segunda etapa da campanha teve início em 1º de julho e vai até 31 de dezembro. A vacinação precisa ser feita uma única vez. A comunicação deve ser feita até o dia 10 de janeiro de 2019, nos escritórios do Indea.

É proibida a vacinação em machos de qualquer idade e de fêmeas com idade superior a 08 meses. As bezerras vacinadas com RB51 deverão receber a marca com a letra “V”, no lado esquerdo da cara. Já as bezerras vacinadas com B19 deverão receber a marca do algarismo final do ano da vacinação, por exemplo: “8”, último dígito do ano 2018. A vacinação deve ser feita por médico veterinário ou vacinador sob sua supervisão.

Fonte: DC (Marianna Peres)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta