Presidente do PDT de Ciro, Viana declara voto em Jair Bolsonaro

Deputado estadual opta pelo voto útil para evitar que o PT de Haddad vá para o segundo turno

O deputado estadual Zeca Vianna, presidente do PDT em Mato Grosso, jogou a toalha em relação à candidatura de seu correligionário Ciro Gomes à Presidência, e vai apoiar Jair Bolsonaro (PSL).

O parlamentar argumentou que a decisão foi tomada em razão da queda de intenções de voto de Ciro e a ascensão do petista Fernando Haddad.

“Realmente nós do PDT estávamos muito confiantes de que o Ciro iria para o segundo turno. E no segundo turno estávamos mais confiantes ainda de que iríamos ganhar as eleições e o Ciro seria o presidente”, afirmou o parlamentar em entrevista à Rádio Capital.

“Agora, com essas últimas pesquisas, com essa subida do Haddad, do PT, isso está nos preocupando. E eu sou anti-PT e vocês sabem. O PT causou um estrago muito grande no nosso País. Tudo o que estamos pagando hoje, essa quebradeira, é graças ao PT. Eu, como político, não posso admitir que continuem essa roubalheira no País. E o cara que vem na contramão dessa roubalheira era o Ciro Gomes e agora o Bolsonaro. O Ciro Gomes, como caiu muito, o Haddad está sinalizando ir para o segundo turno. Então aqui em Mato Grosso nós vamos trabalhar, eu não tenho dúvida, que a maioria absoluta está com Bolsonaro”.

“Se nosso candidato tivesse – ou se tiver – a possibilidade de ir para o segundo turno, sem sombra de dúvida, somos Ciro até de baixo d’água. Com essas pesquisas que estão se confirmando aí, infelizmente nós não vamos poder acompanhar, nós vamos votar sim no outro candidato, para a gente tentar pelo menos levar no primeiro turno”, disse o parlamentar.

“Essa é a grande expectativa da gente. Não é fácil [Bolsonaro vencer no primeiro turno], é muito difícil, a gente sabe disso. É uma questão de opinião e de necessidade do nosso Estado, um estado produtor, de haver uma mudança nessa nossa administração nacional”.

O parlamentar ainda minimizou uma possível retaliação da direção nacional do partido.

“O que eu posso fazer? Se o partido achar que deve fazer alguma retaliação, que faça. Nós temos o direito de opinar aquilo que nós queremos. Apesar de nosso presidente [Carlos Lupi] ser dmuito sensível com a gente em Mato Grosso desde 2010. Ele sempre nos deixou à vontade para a escolher o que era melhor para nosso Estado”, afirmou.

Fonte: Midia News

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta