Prefeitura de Cuiabá aumenta o número de atendimentos do Projeto Equoterapia

De 60 alunos em 2017, projeto já beneficia 145 alunos para estudantes da rede municipal em 2018 e vai crescer ainda mais nos próximos anos

A Prefeitura de Cuiabá está ampliando os atendimentos do Projeto Equoterapia. Em 2017, 60 alunos com deficiência eram atendidos pelo serviço. Este ano os atendimentos mais que dobraram e 145 alunos já são beneficiados, em toda a rede pública municipal de Educação, podendo chegar a 600 crianças e adolescentes, até o final da gestão Emanuel Pinheiro.

O secretário de Educação, Alex Vieira Passos falou sobre a iniciativa que visa à inclusão e o desenvolvimento integral dos alunos com deficiência matriculados na rede pública municipal de Ensino e disse que a expectativa do município é de que até o final de 2018, o total de alunos atendidos chegue a 164. “A determinação do prefeito Emanuel Pinheiro é de que possamos avançar e ampliar o número de atendimentos à crianças e adolescentes com deficiência. O Projeto de Equoterapia é uma das estratégias que a Secretaria Municipal de Educação adotou, com resultados significativos, visando o desenvolvimento integral dos alunos com comprometimento físico, psíquico e intelectual. Por meio desse serviço estamos trazendo qualidade de vida a essas crianças”, avaliou.

A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo em uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde e da educação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial dos alunos com deficiência e outras necessidades especiais.

O método é considerado uma das formas mais eficazes para reabilitação de pacientes com problemas motores sendo indicado também nos casos de paralisia cerebral, lesões neuro-motoras (cerebral e medular), deficiências sensoriais (áudio-fono e visual), patologias ortopédicas, síndromes genéticas, autismo e outros. Em Cuiabá, são atendidas crianças com autismo, síndrome de Down, epilepsia, baixa visão, paralisia cerebral, microcefalia, cardiopatias congênitas, e outros.

A diretora de Ensino da SME, Zileide Lucinda dos Santos, falou sobre os benefícios do projeto para o desenvolvimento pedagógico e social dos alunos. “A secretaria, por meio da diretoria de Ensino, trabalha em conformidade com a Política Nacional de Educação Especial e oferece aos estudantes com deficiência matriculados na rede pública municipal, programas e projetos complementares. Esses serviços atendem os alunos em suas especificidades e visam, além da inclusão no ensino regular, o seu desenvolvimento por meio do Atendimento Educacional Especializado na Sala de Recursos Multifuncionais e a Equoterapia”, salientou.

Projeto

Os atendimentos do projeto de equoterapia na rede municipal de educação começaram em 2015. Durante as sessões, realizadas uma vez por semana durante 30 minutos e sempre no contra turno das aulas, a criança participa manuseando e montando no cavalo que, em razão de sua andadura tridimensional, faz movimentos que emitem para o cérebro do praticante, de 120 a 180 estímulos. Desde as primeiras sessões os benefícios são visíveis, contou a assessora pedagógica da Equipe de Educação Especial da Coordenadoria de Organização Curricular da SME Inês Walker Ehrenbrienk.

“A equoterapia é aplicada mediante um planejamento organizado de acordo com as necessidades e potencialidades da criança, após avaliação e indicação médicas.  Durante as atividades os alunos são acompanhados por uma equipe multiprofissional composta por psicólogo, fisioterapeuta e fonoaudiólogo e pela equipe da Educação Especial da secretaria que avaliam os impactos nas condições de saúde do praticante e o desenvolvimento do projeto”, explicou Inês Ehrenbrienk.

Entre os benefícios da equoterapia estão: a organização do esquema corporal e espaço temporal, melhorias na coordenação motora e destreza, estímulo ao raciocínio lógico e matemático, e ao sentido da realidade, desenvolvimento da linguagem, leitura e escrita. A atividade minimiza os distúrbios comportamentais tornando a criança mais sociável, melhorando a sua autoestima, sua autoimagem e autonomia.

Mariana Corral acompanha o filho (8) há três anos na prática da equoterapia. “O desenvolvimento do meu filho é visível, está mais forte fisicamente, melhorou a socialização, o equilíbrio e o contato com a natureza auxilia bastante nesse processo. Os benefícios são físicos e emocionais”, contou ela ao mencionar que todo o trabalho é acompanhado por profissionais que dão suporte aos pais e mães. “A equoterapia é essencial para o desenvolvimento do meu filho e de tantas outras crianças”, disse ela. Mariana Corral é diretora da Associação dos Amigos dos Autistas de Cuiabá (AMA), entidade parceira da SME em várias ações.

Os atendimentos dos alunos da rede pública municipal de Educação são realizados no Haras Twin Brothers e na Equitakids Rancho Dourado Eireli.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta