TRE proíbe Taques de citar 800 funcionários de Mendes

O juiz auxiliar da propaganda do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT), Mário Roberto Kono de Oliveira, proibiu o governador e candidato à reeleição de fazer futuras referências a 800 trabalhadores que estariam morando em alojamento “tipo de animais” em decorrência do não pagamento dos salários por parte do adversário Mauro Mendes (DEM) ou outras expressões que remetam ao mesmo contexto.

A decisão, proferida no domingo (16), atende em parte ao pedido da chapa de Mendes, que durante entrevista do tucano ao telejornal MTTV 1ª edição realizada no último dia 12, foi alvo de acusações relativas a trabalho análogo à escravidão, supostamente praticado em Rondônia pelo ex-prefeito e empresário.

Segundo Mauro, as afirmações de Taques são “inverídicas, caluniosas, injuriosas e difamatórias”. Por conta disso, ele pediu na liminar o direito de resposta. Também argumentou que na mesma entrevista, o governador insistiu em relacionar sua imagem com a do ex-governador Silval Barbosa e do deputado federal e candidato à reeleição Carlos Bezerra (MDB), o que pediu que fosse proibido.

Em sua decisão, o magistrado destacou durante o processo eleitoral é natural que os candidatos apontem os erros dos adversários, mas ponderou que Pedro Taques não apresentou provas da veracidade de suas alegações com relação aos empregados de Mauro Mendes, apontando as acusações como “ofensivas e difamatórias”.

Fonte: GD

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta