Gilmar manda soltar três no mesmo dia em que MPF denuncia grupo por fraude no RJ

Procuradoria denunciou 23 por esquema em licitações na área da Saúde; três desses investigados ganharam liberdade por decisão do ministro do Supremo

Ex-secretário do governo Sérgio Cabral no Rio, Sérgio Côrtes voltou a ser denunciado na Lava Jato

Tânia Rêgo/Agência Brasil – 11.4.17

Ex-secretário do governo Sérgio Cabral no Rio, Sérgio Côrtes voltou a ser denunciado na Lava Jato

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro ofereceu denúncia contra 23 pessoas acusadas de atuar em esquema de fraudes em licitações na secretaria estadual da Saúde. Os supostos crimes cometidos pelo grupo envolvem a compra de materiais hospitalares e próteses, especialmente para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), e foram investigados nas operações Fatura Exposta e Ressonância, desdobramentos da Lava Jato no Rio.

Entre os denunciados estão o ex-secretário da pasta Sérgio Côrtes e o presidente da divisão de saúde da General Eletric na América Latina, Daurio Speranzini Junior. Este segundo, que estava preso desde o mês passado, quando foi deflagrada a última fase da Lava Jato no Rio, ganhou liberdade por conta de decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, divulgada nesta quarta-feira (8).

Além de Speranzini Junior, o ministro do Supremo também mandou soltar outros dois investigados que constam no ról dos novos denunciados pelo MPF: Miguel Iskin e Gustavo Estellita. Os dois são sócios

De acordo com a Procuradoria da República, os desvios investigados nesses esquemas alcançam R$ 600 milhões a partir de crimes de fraude em licitações, corrupção, formação de cartel, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Fonte: Último Segundo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta