Marta Suplicy recusa convite para ser vice de Meirelles e anuncia saída do MDB

Senadora enviou resposta ao presidente nacional do partido, Romero Jucá, na tarde desta sexta-feira (3); ela afirmou que não tentará reeleição em 2018

Marta Suplicy recusou convite para ser vice de Henrique Meirelles, pelo MDB

Divulgação

Marta Suplicy recusou convite para ser vice de Henrique Meirelles, pelo MDB

A senadora Marta Suplicy (MDB-SP) recusou nesta sexta-feira (3) o convite para ser vice na chapa com Henrique Meirelles na corrida ao Palácio do Planalto. Em mensagem enviada ao presidente nacional do partido, ela ainda anunciou que não tentará a reeleição este ano e deixará o partido.

Marta Suplicy foi cogitada para o cargo de Meirelles, que teve candidatura oficializada nessa quinta -feira (2). O MDB estaria interessado em colocar uma mulher para concorrer a vice-presidência, o que colocava o nome da senadora como o favorito.  Outra pessoa sondada para acompanhar o presidenciável é do ex-governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto.

Em mensagem à imprensa, a senadora explicou a decisão de reclinar ao convite e de sair da sigla, afirmando que “contribuirá mais com o País atuando na sociedade civil”, mas que “não abandonará a participação política”.

“Permanecerei participando politicamente da vida pública brasileira. A partir de 2019, não mais como parlamentar, mas em todas as trincheiras que me levem ao lado da defesa dos interesses dos mais pobres, dos injustiçados e na luta pelo empoderamento das meninas e das mulheres”, escreveu.

Marta ainda criticou partidos políticos e a postura “da maioria dos integrantes do Congresso”, que não tem se colocado a favor das causas progressistas.

“Ao contrário, tornou-se refém de uma agenda atrasada dos costumes da sociedade, negando-se a reconhecer e a regulamentar as relações entre as pessoas de forma a contemplar as diversidades das sociedades modernas e a respeitar os direitos individuais do ser humano”.

A emedebista disse também que a relação de “toma lá dá cá” entre Executivo e Legislativo descarta “padrões de dignidade e honradez da sociedade”. “Esse sistema faliu e precisa ser, urgentemente, reformado.

Em nota, Jucá confirmou o pedido de desfiliação da senadora por São Paulo “por motivos pessoais”.

Marta Suplicy foi prefeita de São Paulo entre 2001 e 2004. Depois de 33 anos, deixou o PT e se filiou ao MDB, em setembro de 2015.

Fonte: Último Segundo – *Com informações da Folha de S. Paulo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta