Taques cobra explicações de Mauro Mendes sobre processos por fraude

O governador Pedro Taques (PSDB) reagiu aos reiterados ataques à sua honra proferidos pelo ex-prefeito de Cuiabá e pré-candidato ao Governo Mauro Mendes (DEM). De acordo com o tucano, todos os indícios de irregularidades que ocorreram em sua gestão foram informados aos órgãos de investigação e controle para apurar e punir os responsáveis. Por outro lado, Taques defende que quem precisa dar explicações à população sobre os processos judiciais a que responde é Mauro Mendes – “que já aposentou dois juízes acusados de fraude junto com ele”. A declaração foi feita em entrevista ao vivo concedida ao Programa Estúdio Livre, da Band Mato Grosso, no fim desta quinta-feira (26.07).

“Eu sempre combati a corrupção. Respondo pelo meu CPF. Agora, tem gente por aí que responde na Justiça por fraude em processo de compra de apartamento, fraude em compra de mineradora. Dois juízes do Trabalho foram afastados por causa disso. A explicação tem que vir do lado de lá, do eixo do Mauro”, disparou.

Taques fez referência ao processo em que Mauro é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de participar de esquema que causou prejuízo de R$ 700 milhões à União. A trama envolve fraude processual, favorecimento a particular e apropriação de valores do leilão judicial de uma mina de ouro em Cuiabá. Pelos crimes, Mauro Mendes responde por improbidade administrativa na Justiça Federal. O caso já rendeu a aposentadoria de um juiz.

No outro processo que também causou a aposentadoria de uma juíza, o democrata é acusado de fraude na compra de um apartamento que também foi leiloado.

Segundo a percepção do governador, as críticas de Mauro relativas a casos em que não foi constatado seu envolvimento, demonstram oportunismo. “A eleição nem começou e a famosa rejeição do Taques que tentam pregar começou a cair. Já estão começando a se desesperar, a falar alto. Isso é oportunismo típico de quem, por exemplo, cria redes sociais só em época de eleições. Oportunismo de que fica sumido e só aparece nessa época. Tenho pedido essa reflexão às pessoas com quem converso”, continuou o tucano.

Na entrevista, questionado sobre as razões pelas quais ex-aliados estarem unidos na sua oposição, Pedro Taques afirmou que vê o fato com naturalidade. “Não administrei para os mais ricos, administrei para quem mais precisa. Isso incomodou. [Na pré-campanha] já estão loteando o estado, negociando secretarias, com arrogância, com empáfia. É o que a própria imprensa tem noticiado. Eu não fiz isso. Eu governei para o cidadão mais simples, para quem precisa. O cidadão já está intolerante com oportunismo político”, disse.

Pedro Taques confirmou nesta semana sua pré-candidatura à reeleição em chapa com dois candidatos ao Senado: Nilson Leitão (PSDB) e a juíza Selma (PSL). A convenção para oficialização das candidaturas está marcada para o próximo dia 5.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta