Cientistas encontram evidências de água em Marte em espécie de lago subterrâneo

Estudo mostrou que ‘aquífero’ pode estar sob camadas de gelo marcianas; descoberta resgatou possibilidade de existência de vida no planeta; leia mais

Cientistas da Agência Espacial Italiana revelaram que há água em Marte; 'lago' líquido pode estar escondido em região polar

Reprodução/Nasa

Cientistas da Agência Espacial Italiana revelaram que há água em Marte; ‘lago’ líquido pode estar escondido em região polar

Cientistas da Agência Espacial Italiana (ASI) afirmaram que existe água em Marte. Segundo um estudo publicado pelos pesquisadores nesta quinta-feira (25) na revista Science , a equipe identificou evidências de uma espécie de reservatório de água líquida escondido sob camadas de gelo na região polar sul do “Planeta Vermelho”. As informações são da CNN .

Além de revelar a existência  água em Marte , a descoberta da agência italiana resgatou a possibilidade de haver diferentes tipos de vida, já que a água é considerada um elemento essencial para que isso aconteça.

Contudo, a coleta de dados realizada pelo radar Marsis e pela espaçonave Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA,) ainda não traz informações suficientes para saber qual a profundidade do ‘reservatório’, o que dificultou saber se o achado é uma espécie de lago subterrâneo ou se é apenas uma camada de lodo.

Os cientistas destacaram que as informações para análises foram levantadas entre maio de 2012 a dezembro de 2015. E que, com o auxílio do dispositivo Marsis e dos sinais captados por eles, puderam detectar características típicas em uma área de cerca de 20 quilômetros, sendo que a água está a, aproximadamente, um quilômetro da superfície marciana.

“Os 29 conjuntos de amostras de radar criaram um mapa que mostrou mudanças drásticas no sinal a cerca de um quilometro da superfície. Era algo semelhante a um ‘aquífero’, como encontramos sob as camadas de gelo da Groenlândia e da Antártica. O radar refletiu o brilho do recurso, o que sinalizou que o líquido era água. Com isso, interpretamos esse recurso como um corpo estável de água líquida em Marte”, escreveram os autores na publicação.

Vale mencionar que, anteriormente, a sonda Phoenix da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) trouxe à tona resquícios de água em Marte, como gotículas condensadas, que, para os estudiosos, eram as grandes responsáveis pelas faixas escuras que apareciam nas encostas do planeta sazonalmente.

No período em que o estudo foi divulgado, a Nasa explicou que Marte era um planeta extremamente frio para concentrar água líquida, mas que minerais como magnésio, cálcio e sódio poderiam ajudá-lo a criar uma salmoura e conservar a água em seu estado líquido, já que interferiria diretamente no estado de congelamento.

“Esperamos realizar um processo de geração de imagens com os dados do Marsis. Estamos animados para ter acesso a imagens em 3D,  elas auxiliarão muito na identificação desse ‘aquífero’, e, claro, contribuirão para descobrirmos se a água em Marte está líquida ou não”, concluiu a cientista e vice-líder da equipe Mars Reconnaissance Orbiter , Nathaniel Putzig.

Fonte: Último Segundo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta