PSB, de Maxi Russi, faz exigências para apoiar Taques

O apoio do Partido Socialista Brasileiro (PSB) ao projeto de reeleição do governador Pedro Taques (PSB) ainda não é dado como certo, apesar de a legenda ainda fazer parte da base do gestor tucano. A sigla irá condicionar o seu apoio às propostas que serão apresentadas pela legenda nos próximos dias.

O presidente regional da sigla, deputado estadual Max Russi, afirma que o partido trabalha na elaboração de um documento, que contará com uma série de projetos que querem que sejam incluídos no plano de governo de Pedro Taques.

“Vamos apresentar algumas propostas que entende que num segundo governo é importante serem implementadas para uma gestão melhor do governo do estado. Nós entendemos que precisamos ter algumas mudanças, precisamos fazer um governo melhor do que o primeiro e o PSB quer contribuir nisso. O PSB tem algumas propostas claras que quer que o governador assuma em caso de uma reeleição, e queremos que deixe claro isso em seu plano de governo e que seja algo que ele irá executar num segundo governo”, explicou o socialista.

De acordo com ele, caso Taques não assuma esse compromisso com a legenda, o partido irá abrir diálogo com outros pré-candidatos ao Governo do Estado como o ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) e o senador Wellington Fagundes (PR).

“É uma condição. Se ele não aceitar, aí a gente pode abrir conversa com quem queira executar essas políticas em seu plano de governo”, enfatizou o parlamentar, que até abril era chefe da Casa Civil do governo Taques.

Entre as propostas estão uma rediscussão do sistema de saúde pública e um plano de ação social em todo o Estado. “Nós queremos colocar uma meta do próximo governo que é zerar a pobreza extrema em Mato Grosso. Nós temos ainda 100 mil famílias vivendo abaixo da linha da pobreza e o PSB entende que, uma política pública clara e com o compromisso do governador Pedro Taques, no próximo governo nós possamos zerar esse número de família”, acrescentou.

No que tange as eleições proporcionais, Russi afirmou que o partido já está com as chapas, tanto para estadual como para federal, definidas.

“O PSB já construiu uma chapa de candidatos a deputado estadual e candidatos a federais. Vamos trabalhar ou para fazer coligação ou para sair em chapa pura nas proporcionais. Nós temos condição, se sairmos de chapa pura, eleger pelo menos deputados estaduais com tranquilidade, mas também fazer uma coligação para completar as vagas e aí trabalhar possibilidade de eleição de mais parlamentares”, finalizou.

Fonte: DC

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta