Mato Grosso foi o 6º que mais criou vagas no país

Mato Grosso criou, em maio, 2.064 novas frentes de trabalho formal (carteira assinada), saldo que coloca o Estado entre os seis maiores empregadores do país, no período. As atividades que sustentaram o desempenho positivo foram a construção civil, com 746 novas frentes e o comércio com outras 582 vagas.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apresentado pelo Ministério do Trabalho mostram que o Estado teve o melhor desempenho do Centro-Oeste. A frente de Mato Grosso estão, Minas Gerais, com saldo de 19.823, São Paulo (+9.155), Bahia (+5.935), Espírito Santo (+5.001), Maranhão (+2.075) e Mato Grosso (+2.064). Na outra ponta, os piores resultados foram registrados no Rio Grande do Sul, que fechou 10.727 vínculos empregatícios, Santa Catarina (-4.484) e Rio de Janeiro (-3.139).

O saldo mato-grossense de maio, em 2.064 vagas novas, é o resultado da movimentação de contratações e demissões registrada no decorrer do mês. Conforme o Caged, foram admitidos 31.985 trabalhadores e desligados 29.921.

O volume de novas vagas criado no mês passado contribuiu para o reforço do saldo positivo do nível de empregabilidade do Estado em 2018, que na comparação entre os acumulados de janeiro a maio revela incremento de 42,73%, com o resultado passando de 11.710 novas vagas para atuais 16.714 novas frentes formais. Esse saldo é o maior desde 2013, quando a geração de vagas somou 17.144 postos.

Ainda conforme o Caged, todas as cinco atividades econômicas mais importantes no Estado – indústria, construção civil, comércio, serviços e agropecuária – fecharam maio com saldo positivo, ou seja, ofertando novas vagas de emprego, sendo a construção civil e o comércio, os destaques do mês.

Das cinco regiões do país, quatro tiveram saldo positivo no emprego em maio. A principal delas foi a Sudeste, onde foram criadas 30.840 vagas, +0,15% em relação a abril. No Nordeste, foram 10.710 novos postos, um crescimento de +0,17%. O Centro-Oeste gerou 3.962 empregos, uma variação de 0,12% sobre o mês anterior. E o Norte fechou com saldo positivo de 1.560 postos, +0,09% a mais do que a última medição. Apenas o Sul teve desempenho negativo, com o fechamento de -13.413 postos, -0,19%.

BRASIL – Pelo quinto mês consecutivo, o emprego formal ficou positivo no país. Maio fechou com 33.659 postos de trabalho a mais do que abril, que já havia apresentado números positivos. O resultado é decorrente de 1.277.576 admissões e de 1.243.917 desligamentos. Com esse resultado, 2018 já acumula 381.166 novos postos de trabalho, uma variação de +1.01%.

Para o ministro do Trabalho, Helton Yomura, esses números demonstram mais uma vez que as medidas econômicas adotadas pelo governo federal continuam apresentando resultados. “Mesmo com problemas pontuais, como a greve dos caminhoneiros, que afetou a economia como um todo, novos postos de trabalho continuaram a ser gerados. Isso confirma a robustez de nossa economia e o esforço de todos – governo, empresários e trabalhadores – para vencermos o desemprego”, avalia.

Fonte: DC

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta