Ex-prefeito desiste do Governo de MT e acusa deputado de “não honrar a palavra”

Tendência é que Rossato apoie pré-candidatura de Pivetta ao Paaiguás

Em entrevista na manhã desta sexta-feira à rádio Capital FM, o ex-prefeito de Sorriso, Dilceu Rossato (PSL) anunciou que não será mais candidato ao Governo do Estado. Segundo ele, o principal motivo é uma insatisfação com o atual presidente do partido, o deputado federal Victório Galli.

Rossato ainda afirmou que o parlamentar chegou a sigla “pela porta dos fundos”. “Íamos começar a percorrer o Estado no dia 4, fazendo as tratativas. No domingo, fui surpreendido com as entrevistas do Victório Galli e na segunda mesmo, decidi que estou fora do processo e vou cuidar da minha vida. É uma decisão definitiva. Ele tem mais interesse na sua reeleição do que no bem-estar de Mato Grosso”, confirmou.

Rossato afirmou que Galli faz jogo duplo, ao negociar com outros partidos e defender sua então pré-candidatura dentro da sigla. Ele aponta que pessoas no partido, como Galli, conversam uma questão em reuniões, tratam um assunto, e por trás, trabalham outras possibilidades e candidaturas. “Na verdade, não nos querem no processo. Fui convidado para ser candidato não para fazer jogo desta forma. Sou uma pessoa correta, que teve dois mandatos de prefeito diferenciados, que tenho vontade de fazer em Mato Grosso. Desde o início, falei que era pré-candidato ao Governo e não estava brigando por mais nada. Então, desta forma, saio pela porta da frente”, disse.

O ex-prefeito inclusive apontou que um dos maiores sonhos do parlamentar é justamente que ele não seja o nome do PSL ao Governo. “Este é um sonho do Victório Galli, que eu não seja pré-candidato. Desde o início, quando me filiei ao partido, foram me convidar em Sorriso e aceitei o desafio de voltar para a política de uma forma que fosse interessante para Mato Grosso. Naquele momento, ele não fazia parte do PSL. Quando o Galli entrou no partido, veio pela porta dos fundos, derrubando presidente. Então, já era previsto que não teria nenhuma simpatia quanto a minha candidatura ao Governo do Estado”, afirmou.

PIVETTA E TAQUES

Rossato também comentou as declarações de Galli de que ele provavelmente abriria mão da candidatura por conta da pré-candidatura do ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), ao Governo do Estado. “Eu e Pivetta temos a mesma linha de pensamento. Trabalhamos em municípios vizinhos, de forma semelhante, e eles foram os que mais cresceram no Brasil nos últimos anos. Não tem porque sairmos em disputa um contra o outro. Mas era algo mais para frente, se minha candidatura não decolasse, mas nem lançada ela foi. O Galli foi muito infeliz na colocação”, apontou.

O ex-prefeito também criticou a reunião do presidente estadual do PSL com o governador Pedro Taques (PSDB), no último sábado. Segundo Rossato, o deputado não cumpriu com a palavra que deu em uma reunião recente de partidos aliados. “Em uma reunião, ele havia se comprometido com todos os partidos presentes, de que não conversaria com o Pedro Taques. Teria o candidato dele, que era eu, e não teria nenhuma conversa com ele. É mais uma das coisas que ele fez errado”, completou.

Fonte: Folhamax

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta