Mesmo com anúncio do governo, preço do diesel em Mato Grosso ainda é incógnita

Mesmo com o anúncio do governo federal de redução de R$ 0,46 no preço do litro de óleo diesel nas bombas, já a partir desta sexta-feira (1º), ainda não é certo que isso passe a vigorar de imediato em Mato Grosso. O presidente do Sindipetróleo (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis de Mato Grosso), Aldo Locatelli, expôs preocupação dos donos de postos com a medida.

Isso porque as distribuidoras de combustíveis ainda não repassaram a redução anunciada pelo presidente Michel Temer (MDB), quando da negociação com os caminhoneiros paralisados. Com isso, os comerciantes temem ser multados em valores que podem chegar até R$ 9,4 milhões, conforme o Sindipetróleo. “Muitas foram as ligações ao sindicato com o seguinte questionamento: ‘Minha companhia distribuidora não repassou a redução de R$ 0,46 no diesel prometida pelo governo. Vou ser multado?’”, disse Locatelli, em nota.

Paulo Miranda Soares, presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), se reuniu pela manhã com representantes do governo para esclarecer como foi formulada a determinação e solicitar garantias para que a redução chegue de fato aos postos. Segundo ele, os revendedores não possuem condições de arcar com a queda no valor do diesel, afirmando que existem outros fatores responsáveis também pela formação de preços.

Diante dessa situação, o Sindipetróleo informou que será necessário aguardar a resposta do governo federal para verificar qual será o efetivo repasse de redução no diesel pelas distribuidoras. Só a partir disso se será definido quanto o consumidor receberá de redução oferecida pelas distribuidoras.

O Sindipetróleo manifestou repúdio à forma como o governo federal anunciou a medida, que classificou de “irresponsável” por falsear a verdade e transferir ao revendedor o ônus “ tentando transformá-lo, mais uma vez, em vilão dos preços altos dos combustíveis, ônus este que, como felizmente já é de conhecimento da população, cabe à imensa carga tributária que pesa sobre o setor e à política de preços e margem de lucro da Petrobras”, disse Aldo Locatelli. (Com informações da Assessoria)

Fonte: GD

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta