Greve de caminhoneiros chega ao 9° dia; postos de gasolina têm melhora tímida

Enquanto alguns postos de combustível começaram a ser reabastecidos e a Ceagesp passou a receber alguns caminhões com alimentos, nove aeroportos ainda não têm combustível e o Porto de Santos segue totalmente parado

Caminhões de combustível foram escoltados em diversos estados para abastecer postos durante a greve dos caminhoneiros
Reprodução/Twitter

Caminhões de combustível foram escoltados em diversos estados para abastecer postos durante a greve dos caminhoneiros

Nesta terça-feira (29), nono dia desde que a greve dos caminhoneiros teve início em todo o País, alguns postos de gasolina começaram a ser reabastecidos. Porém, embora essa informação traga esperança de que o dia seja de tímida retomada da normalidade, protestos continuam em pelo menos 17 estados e no Distrito Federal.

Foram registrados, na manhã de hoje, manifestações referentes à greve dos caminhoneiros em Alagoas, no Ceará, no Distrito Federal, no Espírito Santo, em Goiás, no Maranhão, em Minas Gerais, em Mato Grosso do Sul, em Mato Grosso, na Paraíba, em pernambuco, no Paraná, no Rio Grande do Norte, em Santa Catarina, em Sergipe, em São Paulo e em Tocantins.

Ainda assim, falta combustível em pelo menos nove dos 54 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutra Aeroportuária (Infraero) no país.

Em balanço atualizado à 1h05 desta terça-feira (29), a empresa informou que monitora o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais.

Os aeroportos que estão com falta de combustível são Foz do Iguaçu (PR), Paulo Afonso (BA), Teresina (PI), Palmas (TO), João Pessoa (PB), Ilhéus (BA), Cuiabá (MT), Imperatriz (MA) e Petrolina (PE). Aos passageiros, a Infraero recomenda que procurem as companhias para consultar a situação de seus voos.

Apesar da falta de querosene, os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

Reflexos da greve dos caminhoneiros na Ceagesp e no Porto de Santos

Ainda na manhã dessa terça alguns caminhões foram vistos na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo ( Ceagesp ), o maior centro de distribuição de alimentos do Brasil, localizada na zona oeste da capital paulista.

Os reflexos da greve dos caminhoneiros  no local ainda são percebidos, devido à baixa movimentação de caminhões na central, mas a paralisação já não é mais total – o que representa melhora. Em compensação, o maior porto do País, o Porto de Santos, continua parado e não há estimativa sobre quando ele voltará a ser abastecido.

Fonte: Último Segundo – *Com informações da Agência Brasil

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta