Silval está inconformado com pena de 14 anos de prisão e apela de condenação

O ex-governador Silval Barbosa está inconformado com sua condenação recente a 14 anos, 20 dias e 2 meses de prisão na ação penal da Operação Sodoma. O político aposentado apresentou apelação logo que foi intimado para tomar ciência da sentença estabelecida no dia 10 de maio pelo juiz Marcos Faleiros da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

“Em contato com o sentenciado Silval da Cunha Barbosa, por ele foi dito que, não se conformando, data vênia, com a respeitável sentença, nos autos da ação penal que lhe move a Justiça Pública/Querelante Ministério Público do Estado de Mato Grosso […]. Do que, para constar, lavrei o presente termo de apelação que lido em voz alta e achado conforme, vai devidamente assinado”, anotou o oficial de Justiça após intimação.

Mesmo sem concordar com a sentença, o ex-governador já foi beneficiado com regime prisional diferenciado, conforme estabelecido em termo de colaboração premiada.

O processo levou em conta 7 casos de corrupção. Os fatos levantados durante a Operação Sodoma vão desde a exigência de vantagens para manutenção de contratos com o Estado à lavagem de dinheiro por meio de compra de gado. Caixa 2 nas eleições de Várzea Grande e compra de terreno por R$ 13 milhões usando dinheiro de propina para a construção de um Shopping também constam como fatos do processo.

Marcos Faleiros, juiz responsável pelo processo, afirmou que Silval aproveitou da posição de “líder” e da “boa-fé” da população para garantir o funcionamento de uma organização criminosa: “o grupo chefiado pelo acusado agia como se sócio fosse das receitas do Estado”.

O juiz da 7ª Vara Criminal explicou ainda que os motivos do crime estavam ligados à necessidade de arrecadar fundos para pagamento de despesas com a campanha eleitoral, inclusive de governos anteriores.

Além de Silval, mais 15 pessoas foram condenadas. O ex-deputado José Geraldo Riva, o ex-secretário de Casa Civil, Pedro Nadaf e o ex-prefeito de Várzea Grande, Wallace Guimarães, são alguns dos condenados.

Outro lado – A versão registrada nos autos pelo oficial de Justiça é contestada pela defesa do ex-governador que garante não ter interesse em recorrer da sentença. “Em nenhum momento Silval afirmou que estaria inconformado com a decisão, tanto é verdade que conforme consta da petição apresentada ao juízo da Sétima Vara, não apresentará recurso”, afirma a defesa em nota.

Fonte: GD

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta