HBSH: Campanha sobre a importância da higienização das mãos

A Lavagem de Mãos é uma medida simples, econômica e eficaz na prevenção de doenças. Diante da importância desse ato, foi instituído um dia do ano para trabalhar a conscientização desse pequeno e simples procedimento, que previne e reduz infecções, promovendo a segurança de pacientes, dos profissionais e demais usuários dos serviços de saúde e de toda a população. O dia escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi 05 de maio.

De acordo com o presidente do Hospital Beneficente Santa Helena (HBSH), Dr. Marcelo Sandrin, “a higiene das mãos é uma das mais importantes medidas de prevenção e controle de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS), promovendo a segurança de pacientes, profissionais e usuários dos serviços de saúde e mais ainda, promovendo mais saúde para toda a população”, disse ele, alertando ainda que as mãos carreiam os mais diferentes agentes biológicos e o contato desses agentes em mucosas, alimentos e outros pontos vulneráveis potencializam a inoculação, disseminação, a reação cruzada e a inseminação desses agentes no organismo humano.

Diante da importância dessa higienização, a equipe do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) em parceria com o setor de educação do HBSH, realizou diversas atividades nesta semana, entre elas, palestras de orientação quanto à importância da higienização das mãos pelos profissionais de saúde como medida de prevenção das IRAS, além de dinâmicas e orientações da técnica correta de como higienizar as mãos e o produtos a serem utilizados.

De acordo com o enfermeiro Antônio Accioly, o objetivo principal foi de trabalhar essa conscientização nos colaboradores do HBSH. “Acredito que com esse trabalho conseguimos atingir nosso objetivo que era de conscientizar de que através das mãos se dá a transmissão dos microrganismos durante a assistência ao paciente. E que a higiene das mãos é a medida individual mais simples e efetiva para prevenir a disseminação das IRAS. Por este motivo é considerada como um dos pilares no controle das infecções nos serviços de saúde, incluindo aquelas decorrentes de transmissão cruzada de microrganismos multirresistentes. Estudos mostram que a adesão dos profissionais ainda é muito baixa , cabendo a nos orientar e estimular para conscientizar os nossos profissionais da importância desta prática”, explicou ele.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta