Empresário diz à Polícia Federal que recebeu 6,5 milhões de euros do PSDB em conta na Suíça

Ronaldo Cezar Coelho afirmou que pagamento é referente ao empréstimo de uma aeronave para atividades ligadas à campanha presidencial de José Serra em 2010.

O empresário e ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (PSD-RJ) afirmou em depoimento à Polícia Federal em fevereiro deste ano que recebeu do PSDB 6,5 milhões de euros em uma conta na Suíça em 2009 e 2010.
Segundo Coelho, o dinheiro era pagamento do partido pelo uso de um avião do empresário em atividades ligadas à campanha presidencial do PSDB em 2010, que teve como candidato o senador José Serra (PSDB-SP).
A informação foi publicada no sábado (28) pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. A TV Globo também teve acesso ao depoimento.
Em janeiro do ano passado, Cezar Coelho já havia admitido o recebimento do dinheiro na Suíça. Agora, ele confirmou a informação no depoimento à PF.
Coelho afirmou no depoimento que tratou do uso da aeronave com o então presidente do partido, o ex-deputado federal Sérgio Guerra, morto em 2014. Ele disse à polícia que custeou por conta própria as viagens, mas recebeu de Guerra a garantia de que seria reembolsado.
Coelho relatou ter dito a Guerra que os pagamentos poderiam ser feitos para a empresa de táxi aéreo responsável pela manutenção do avião. No entanto, afirmou o empresário, Guerra disse que o pagamento teria que ser feito no exterior.
“Que Sergio Guerra afirmou que iria obter os recursos, mas que somente poderia realizar os pagamentos diretamente ao declarante [Cezar Coelho] no exterior”, registrou a PF no depoimento do empresário.
Coelho disse ainda que não sabe o motivo pelo qual o pagamento teria que ser feito em outro país, mas aceitou a proposta e indicou uma conta que tinha na Suíça desde 1984. Ele afirmou ainda que, em 2016, aproveitando o programa do governo de repatriação de recursos, trouxe R$ 23,8 milhões que mantinha no exterior para o Brasil.
O empresário relatou à PF que não sabe a origem do dinheiro pago pelo PSDB e que nunca questionou ninguém do partido sobre o tema.
Histórico
No acordo de delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Carlos Armando Paschoal, conhecido como Cap, disse ter pago ilegalmente R$ 23 milhões para a campanha de Serra em 2010. Ronaldo Cezar Coelho teria sido responsável pelo acerto de parte desse valor.
Em 2017, quando surgiram os primeiros trechos da delação da Odebrecht, o advogado de Cezar Coelho, Antônio Cláudio Mariz, já havia afirmado que o pagamento era referente ao empréstimo do avião. À PF, Cezar Coelho disse que não tem conhecimento de pagamentos da Odebrecht.
Na ocasião em que surgiu a denúncia, José Serra disse que não costuma comentar investigações em andamento e processos judiciais. E reiterou que todas as campanhas eleitorais dele foram feitas de acordo com a lei, com as finanças e sob a responsabilidade do partido.
Fonte: G1

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta