Casos suspeitos de influenza sobem para 102 em uma semana no Estado

De acordo com o boletim divulgado nesta sexta-feira (27), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio da Vigilância Epidemiológica, os casos sob suspeita do vírus influenza praticamente dobraram em uma semana em Mato Grosso. Dos 56 registrados foram para 102. Os casos suspeitos são investigados pelo Laboratório Público Central do Estado (LACEN) e os resultados devem ser divulgados em até 28 dias.

Até o momento são 15 óbitos em investigação, dos quais 3 já foram confirmados por gripe influenza. A 1ª morte por gripe influenza A não subtipado, ocorreu em Cuiabá, enquanto a 2ª registrada em Tangará da Serra apontou a gripe Influenza B. Por fim a 3ª morte confirmou a infestação da influenza A por H1N1. Ainda há 6 mortes ocorridas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) não especificado e outros 7 óbitos estão sob investigação.

Além disso, o boletim epidemiológico comunica a chegada de mais 76 mil doses de vacina e a previsão de um novo lote com 42 mil doses. Com essas novas remessas por parte do Ministério da Saúde sobe para 52% o quantitativo de vacina recebida, que representa 439 mil doses, sendo que o Estado precisa de um total de 850 mil doses.

As vacinas são aplicadas prioritariamente as pessoas com mais de 60 anos de idade, crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os profissionais de saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais e a população privada de liberdade, além dos funcionários do sistema prisional.

A Campanha Nacional de Vacinação contra influenza iniciou nesta segunda-feira (23) e segue até 1º de junho, e não será prorrogada. A vacina contra gripe é segura e salva vidas. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

O ideal é realizar a imunização antes do início do inverno, que começa em junho, isso porque a vacina contra gripe não está na rotina do Calendário Nacional de Saúde, trata-se de uma vacina de campanha, ou seja, ocorre somente em um período específico, de maior circulação do vírus, que vai do final de maio até agosto. A vacina leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação.

A gripe influenza é uma infecção viral aguda do trato respiratório, com elevada transmissibilidade, podendo ser contraída várias vezes ao longo da vida, podendo se manifestar de forma mais ou menos grave. Existem vários tipos e subtipos do vírus Influenza. Contudo, apenas os vírus A e B causam doença com impacto significativo na saúde humana.

A influenza acontece durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses do outono e do inverno, quando as temperaturas caem, principalmente no sul e sudeste do país. No Estado do Mato Grosso se dá a circulação de vírus da Influenza Sazonal A H3 e B, informou a Vigilância Epidemiológica estadual.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta