Juíza nega visita de médico a Lula; “atitude mesquinha”, diz PT

Juíza afirmou não ter visto urgência em exame médico do ex-presidente Lula; para PT, atitude é “cruel” e configura “crime contra a humanidade”

Dilma Rousseff e petistas em frente à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso
Ricardo Stuckert – 23.4.18

Dilma Rousseff e petistas em frente à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso

A juíza Corolina Lebbos , da justiça de Curitiba, negou ao ex-presidente Lula ( PT ) uma visita de seu médico que a defesa do líder petista havia solicitado. Para ela, não há “indicação de urgência” nos exames que seriam realizados.

Os advogados do ex-presidente criticaram a decisão. Em seu pedido, eles ressaltaram que Lula tem “72 anos de idade, está custodiado desde o dia 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal no Paraná e, desde então, não passou por qualquer exame de rotina como habitualmente vinha realizando”. Eles acrescentaram, também, que por ter tido câncer no passado, o petista precisar realizar exames periodicamente.

A defesa do ex-presidente afirmou, também, possuir informações de que outros detidos no mesmo prédio “recebem atendimento de médicos por eles indicados, de forma que o pedido ora reiterado, além de necessário para preservar a saúde do ex-presidente, não implicará em qualquer alteração na rotina” da Superintendência.

Os argumentos, contudo, não foram o bastante para convencer a juíza. Em nota, o Partido dos Trabalhadores criticou a decisão. O PT lembrou que o câncer na garganta que Lula tratou há alguns anos o dá o direito a assistência médica “onde quer que se encontre”.

“A decisão da juíza é mais uma arbitrariedade da Lava Jato contra o maior líder popular do País. É mais uma injustiça contra Lula. É uma atitude mesquinha e cruel. É um crime contra a humanidade, que terá repercussão internacional”, diz a nota do partido.

Juíza proíbe visita de Suplicy

Além de proibir as visitas do médico de Lula, da ex-presidente Dilma Rousseff, do advogado do ex-presidente e deputado federal Wadih Damous ( PT ) e do vencedor do Nobel da Paz Adolfo Pérez, a juíza Carolina Lebbos impediu também que o vereador Eduardo Suplicy (PT) visite o petista na prisão.

Suplicy esteve nesta quinta-feira (26) em Curitiba e levava cartas destinadas ao ex-presidente. Proibido de entrar no prédio da Polícia Federal, o vereador entregou as cartas – aproximadamente 3 mil – aos familiares de Lula.

Fonte: Último Segundo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta