TJ interroga ex-colega de gabinete que denunciou parcialidade de Selma

O desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), marcou para 17 de maio a audiência em que ouvirá Midiã Maira de Carvalho de Sá, ex-assessora da juíza aposentada Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, nos autos que questionam imparcialidade em julgamentos.

Midiã acusa a juíza Selma Arruda de ser parcial em suas decisões contra o ex-Conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Humberto Bosaipo. Segundo depoimento preliminar, Selma ordenava que todos os requerimentos da defesa de Bosaipo fossem negados, antes mesmo de qualquer exame dos fatos.

O oposto, conforme Midiã, era realizado nos julgamentos de pedidos do Ministério Público (MPMT). A acusação chegou a gerar a suspenção temporária de Selma em processos da Operação Arca de Noé em que o ex-conselheiro é arrolado como réu.

A juíza Selma se aposentou no começo de abril. Ela deve concorrer nas eleições de 2018. O nome de Selma é especulado para o senado pelo PSL.

Ao Gazeta Digital, Selma já afirmou que exonerou a servidora ao detectar incompetência e deslealdade no ambiente de trabalho.

“Essa moça foi contratada para o gabinete e se mostrou absolutamente incompetente, era desleal no gabinete, tinha contato com advogados e tinha contato com o Humberto Bosaipo. Ela era da mesma igreja, se eu não me engano. Depois ela foi contratada por ele para fazer essas declarações. O Humberto Bosaipo arguiu uma exceção de suspeição minha, dizendo que eu tinha interessa só naquilo que desse mídia. Mas a exceção foi rejeitada por mim”, afirmou.

Fonte: GD (Arthur Santos da Silva)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta