Delegados da PF cobram transferência de Lula por conta de “transtornos e riscos”

Sindicato de delegados quer que ex-presidente seja colocado em unidade das Forças Armadas e alega que a permanência de Lula na sede da Polícia Federal em Curitiba pode trazer “riscos à população e a funcionários” da corporação

Lula está desde sábado (7) detido em 'sala de Estado-Maior' no quarto andar da sede da Polícia Federal em Curitiba
Reprodução

Lula está desde sábado (7) detido em ‘sala de Estado-Maior’ no quarto andar da sede da Polícia Federal em Curitiba

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Paraná  (SinDPF-PR) pediu a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para outra unidade prisional que não a sede da corporação em Curitiba, onde o petista está detido desde o último sábado (7).

Em ofício enviado à superintendência da PF nesta quarta-feira (11), os delegados pedem que Lula seja transferido para uma unidade das Forças Armadas “que possua efetivo e estrutura à altura dos riscos envolvidos”. O sindicato argumenta que a permanência do ex-presidente na sede da PF pode trazer “transtornos e riscos à população e aos funcionários” da corporação.

Os delegados lembram que a Polícia Federal realiza atendimentos ao público na emissão de passaportes e em questões relacionadas a produtos químicos, segurança privada, armas e emissão de certidões de antecedentes criminais. De acordo com o sindicato, essa rotina foi afetada por conta de manifestações contra e a favor do ex-presidente e dos bloqueios feitos em vias do entorno do prédio onde Lula está preso.

“Invasores” e “ameaças”

“Os policiais federais envolvidos nesta operação de segurança estão sem poder desenvolver suas atividades policiais normalmente. Há comprovados riscos à população que reside no entorno do prédio da PF, aos policiais federais e demais integrantes do sistema de segurança pública que moram nas imediações da sede da Polícia Federal , ao passo que alguns invasores, que já se instalaram com barracas e determinada estrutura, já estão promovendo ações no sentido de intimidar estas pessoas”, diz a nota do sindicato.

Os referidos “invasores” são manifestantes que montaram um acampamento em frente ao local onde o ex-presidente está preso. O ato é organizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e por movimentos sociais que prometem fazer uma vigília no local até que Lula ganhe liberdade.

“Policiais federais e moradores estão informando, extraoficialmente, que temem pela segurança de suas famílias em face das ameaças e presença de tais manifestantes”, afirmam os delegados.

Lula está confinado em uma espécie de ‘sala de Estado-Maior’ no quarto andar da sede da PF na capital paranaense. O recinto possui 15 metros quadrados, banheiro individual, chuveiro com água quente e uma televisão (cuja presença foi autorizada pelo juiz Sérgio Moro).

Fonte: Último Segundo

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta