Cuiabá, quase 300

*Por Pedro Felix

Cuiabá, terra multifacetada, próspera em riqueza de gente e coisas, originária do ouro, do extrativismo e faceta de metrópole regional. Centro da América do Sul, teve sua gênesis ligada ao ciclo dos metais preciosos e da conquista de terras espanholas e indígenas.

Aos poucos seu povoamento de pouco mais de mil pessoas, chega hoje à casa dos quinhentos mil paus rodados e Tchapa e Cruz, buscando de maneira dinâmica e complexa suas sobrevivências, sob um sol escaldante e as vezes insuportável.

Figuras lendárias como Anhanguera, Pires de Campos e Pascoal Moreira Cabral, são emblemas que consolida a Ata de Fundação em 8 de abril de 1719 e dá o “Start” na urbanização de terras dos silvícolas do grupo Bororos, entre eles o famoso Coxiponés.

Seu crescimento ligado ao imediatismo do ouro, logo sofreu sua primeira crise por volta de 1728, e na ânsia de sobrevivência, alternou sua sobrevivência ao trato com a terra agricultável.

A antiga Monção do sul, que de Araritaguaba ( Hoje Porto Feliz , em São Paulo) abastecia a cidade do ouro “Ikuiapa”, trouxe substância para que outros que aqui chegaram, ampliasse o território do futuro Mato Grosso, chegando a sua parte mais a oeste, criando sua primeira capital em Vila Bela da Santíssima Trindade.

A resistência, e somente ela é capaz de explicar a capacidade de pessoas como eu , ou você, de antes e hoje, em permanecer em um lugar que é tão longe de nossas origens, ou de outros mais atrativos. Criou-se até indagações, muitas vezes jocosas sobre o espaço; mas hoje, o respeito e nossa grandeza nos integra de forma inverossímil a um Brasil continental. Se para chegar aqui demorava-se até 6 meses no século XVIII, ou 1 mês de barco a vapor no século XIX, hoje isto é passado e em questão de horas, ou dias, nos deslocamos para qualquer lugar em nosso país ou mesmo no mundo.

Cuiabá , quase “trezentina”, não perde nada para outros lugares e nossos problemas resolvemos com a tranquilidade, galhardia e afago que sempre marcou a cidade Verde, que venha os trezentos anos, Cuiabá nós te amamos.

*Pedro Felix é historiador, formado pela UFMT, com Especialização e Mestrado, hoje é também estudante de Direito da Faculdade Cândido Rondon-Cuiabá

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta