EUA pretendem examinar redes sociais de turistas para conceder visto ao país

Medidas do governo de Donald Trump poderão afetar cerca de R$ 15 milhões de pessoas

A partir de janeiro, preço para não-imigrantes passará a custar US$ 131
AGÊNCIA ESTADO – 16.3.2006

A partir de janeiro, preço para não-imigrantes passará a custar US$ 131

O Departamento de Estado dos Estados Unidos pretende exigir a todos os solicitantes de visto que forneçam seus históricos e nomes nas mídias sociais, endereços de correio eletrônico e números de telefone para entrar no país. Medidas afetarão 15 milhões de estrangeiros.

Em um texto que será publicado nesta sexta-feira no Federal Register – o diário oficial do governo americano – o Departamento de Estado diz que quer obter comentários da população sobre as exigências.

O histórico das redes sociais, e-mails e números de telefone era solicitado apenas para pessoas que vinham de países considerados de risco – grupo que representa cerca de 65 mil pessoas anualmente. As novas regras serão aplicadas a todos os solicitantes de visto.

O Departamento de Estado estima que a nova medida afetará 710 mil solicitantes de visto de imigração e 14 milhões de vistos de turismo ou os que querem viajar para os EUA em razões de negócios ou educação. Após a publicação do texto, haverá um prazo de 60 dias para o envio de comentários.

Se a nova medida for aprovada pelo Escritório de Administração e Orçamento, os pedidos de visto serão encaminhados para plataformas na internet que pedirão o fornecimento de qualquer nome de conta nas redes que o solicitante teve nos últimos cinco anos.

O governo dará ainda ao solicitante a opção de fornecer voluntariamente qualquer informação sobre a mídia social não listada. Além de números telefônicos, os solicitantes deverão fornecer status de viagem internacional, eventuais deportações e se algum membro da família esteve envolvido em atividades terroristas.

Fonte: O TEMPO

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta