Deputado Allan Kardeck deixa o PT após desgastes e desavenças internas

O deputado estadual Allan Kardeck anunciou neste sábado (3) sua desfiliação do Partido dos trabalhadores (PT). O comunicado foi feito durante reunião com aliados. Sua saída da sigla petista ocorre um mês após a reunião do partido na qual o presidente Valdir Barranco baixou uma resolução proibindo Kardec de participar da CPI dos Fundos instalada na Assembleia Legislativa para investigar o governador Pedro Taques (PSDB). À ocasião, Allan ignorou o posicionamento do partido e permaneceu como membro titular na investigação.

“Pelo respeito que tenho ao partido e seus filiados, fiz o comunicado diretamente ao Diretório Estadual com seus membros reunidos. Levo comigo a marca de todas as lutas que travamos em busca de uma sociedade mais justa e fraterna, mas chegou a hora de buscar outras possibilidades partidárias no campo popular democrático”, diz Allan em mensagem distribuída neste sábado a membros do PT depois de ter participado de uma reunião da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores, onde comunicou que fará sua desfiliação partidária na próxima semana, no prazo autorizado pela Justiça Eleitoral.

Por enquanto, Kardec faz mistério sobre o partido que vai se filiar nos próximos dias, mas dentre eles está o PDT que é comandado pelo deputado estadual Zeca Viana que desde novembro de 2017 anunciou que estava conversando com o petista para que migrasse para o PDT. Naquela época, Viana afirmou que a ida de Allan para os quadros do PDT já era quase certa.

Outra possibilidade avaliada por Kardec é o Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Porem, o PDT leva vantagem devido ao trabalho nos bastidores realizado por Zeca Viana já de olho nas possibilidades de aumentar os representantes do partido do Legislativo Estadual.

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) também é cogitado. Mas essa possibilidade é a menos provável, pois Allan só se filiaria na sigla socialista se o atual presidente Valtenir Pereira deixasse a legenda. Ambos não se entendem por causa de acordos não cumpridos nas eleições de 2014 quando a pestista Jusci Ribeiro ficou como suplente de deputada federal e nos bastidores teria sido feito um acordo de rodízio para ela assumir em algum momento. Isso, no entanto, não ocorreu porque Valtenir não teria cumprido com sua palavra. Outro fator que afasta Allan do PSB é a possibilidade do partido se coligar com o PSDB em âmbito nacional e com isso ter que apoiar a candidatura de Pedro Taques no Estado. Allan não quer se filiar a um partido que venha apoiar o tucano nas eleições deste ano.

Sobre o desgaste de Kardeck dentro do PT, as divergências internas que já existiam, aumentaram quando Valdir Barranco assumiu a presidência do partido em junho de 2017. O ápice, dos desgastes, no entanto, ocorreu no final de janeiro deste ano quando Barranco baixou uma resolução para proibir Kardec de compor a CPI do Paletó. A orientação foi ignorada. A Executiva Estadual do PT até anunciou que estudaria uma punição para ser aplicada a Allan, mas recuou.

A CPI investiga a possibilidade de evasão de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). A Comissão também deve apurar um suposto desvio de finalidade de recursos do Fundo de Desenvolvimento e Manutenção da Educação e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Durante sua filiação ao PT, Allan foi eleito vereador por Cuiabá nas eleições de 2012 e na sequência disputou o cargo de deputado estadual em 2014 ficando na suplência. Assumiu como deputado estadual em janeiro de 2017 após mudança na composiçõe dos quadros de parlamentares da Assembleia por causa do descongelamento dos votos de dois petistas que concorreram sub júdice em 2014, Altir Peruzzo e Valdir Barranco. Com isso, a coligação ganhou uma cadeira a mais, e Peruzzo que era o 1º suplente foi eleito prefeito de Juína no pleito de 2016 abrindo espaço para Allan virar deputado.

Confira a íntegra da mensagem divulgada por Allan 

Boa tarde companheiros e companheiras de luta.

Estive hoje na Reunião da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT/MT), comunicar que farei minha Desfiliação Partidária na próxima semana, durante o prazo legal autorizado pela Justiça Eleitoral.
Pelo respeito que tenho ao partido e seus filiados, fiz o comunicado diretamente ao Diretório Estadual com seus membros reunidos.

Levo comigo a marca de todas as lutas que travamos em busca de uma sociedade mais justa e fraterna, mas chegou a hora de buscar outras possiblidades partidárias no campo popular democrático.

Quero agradecer de coração todos e todas que passaram comigo no partido durante esse período, onde disputei três eleições consecutivas e construí grandes amizades e parcerias.

Tenho uma palavra que representa o meu sentimento “GRATIDÃO”. O nosso mandato na Assembléia Legislativa do estado de Mato Grosso continua firme na luta e a disposição pra ajudar na construção de um estado mais forte economicamente e justo socialmente.
Prof. Allan Kardec Benitez

Fonte: GD (Arthur Santos da Silva e Welington Sabino)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta