Fávaro quer disputar governo e conversa com oposição, revela Fagundes

O senador Wellington Fagundes (PR), que integra o grupo de oposição ao atual governador Pedro Taques (PSDB), revelou que foi procurado pelo vice-governador Carlos Fávaro (PSD) que está costurando apoio de outros partidos na tentativa de viabilizar sua candidatura ao governo do Estado no pleito deste ano.

A declaração de Fagundes, dada neste sábado (20), em evento realizado em Chapada dos Guimarães, sinaliza que Fávaro está disposto a romper de vez com Taques e levar consigo todos os apoiadores do PSD, partido que lá atrás, quando o tucano assumiu o Palácio Paiaguás, em janeiro de 2015, era oposição a Taques. A legenda passou a integrar a base governista por causa do trabalho de reconstrução do partido realizado por Fávaro que veio do agronegócio e logo mostrou que tinha traquejo político e capacidade de somar aliados tanto do cenário político quanto do setor agro.

Apesar disso, o senador republicano deixa claro que nada está decidido. A única certeza, segundo ele, é que a oposição vem se reunindo com vários partidos e conversando para se chegar a um nome com viabilidade política e apoio popular para disputar o governo de Mato Grosso e derrotar Pedro Taques numa possível disputa à reeleição. Embora o tucano evite se colocar como pré-candidato até o momento, ele é, naturalmente, um nome apto a disputar a reeleição.

Fagundes ressalta que na atual conjuntura, ele também não se coloca como pré-candidato ao governo do Estado. “Estamos trabalhando com aqueles que demonstraram que querem ser candidatos. O próprio Jayme [Campos] mesmo, estávamos conversando e ele disse que é possível uma candidatura a senador, a governador. Nós temos outros nomes como Antonio Joaquim. O Blairo tem se manifestado que quer ser senador. O próprio vice-governador[Carlos Fávaro] já nos procurou. Então são muitos nomes que podem amanhã confluir numa candidatura”, ressaltou Fagundes.

Sobre as circunstâncias em que foi procurado por Fávaro para discutir as eleições de outubro próximo, o senador pondera que nada ficou acertado e que seu grupo segue trabalhando com várias possibilidades, pois vem mantendo conversas com lideranças do PMDB, PTB, PP e PT. E isso, segundo ele, deve continuar e se intensificar nos próximos meses por causa da janela partidária, quando parlamentares com mandato podem mudar de legenda sem risco de serem acionados na Justiça e perder os últimos meses de mandato que ainda lhes restam.

“Ele [Carlos Fávaro] me procurou dizendo que gostaria de ser candidato, se ele assumisse não abriria mão. A condição de assumir cabe a ele responder. Mas ele se colocando na possibilidade de ser candidato procurou esses partidos que estamos falando”, diz Fagundes.

Criticas à gestão Taques

Wellington Fagundes não perdeu a oportunidade de criticar a gestão do tucano Pedro Taques. Argumenta que na democracia quanto mais opções melhor. E nesse contexto, segundo ele, quem ganha é a população mato-grossense com diferentes candidatos disputando o Palácio Paiaguás neste ano.

“Por isso eu tenho, inclusive, junto com todos esses partidos que a gente constantemente tem reunido, um compromisso. Compromisso de trabalhar um projeto alternativo ao que instalou-se porque nós não concordamos. Entendemos que a administração não está atendendo a população em várias áreas. Áreas da saúde, da segurança, enfim, um governo extremamente engessado e por isso estamos buscando construir um projeto de uma candidatura alternativa”, critica.

Por fim, questionado sobre o ritmo ainda lento dos grupos opositores ao atual governo, Fagundes disse que não tem porque se preocupar já que a gestão do tucano depõe contra ele. “O problema é que o Pedro, ele mesmo está fazendo oposição a ele. Está facilitando o trabalho da oposição”, disparou.

Fonte: GD (Janaiara Soares e Welington Sabino)

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta