Investigado desde 2015, Marco Polo Del Nero é suspenso pela Fifa por 90 dias

Por conta da punição imposta pela entidade máxima do futebol, cartola terá que deixar a presidência da CBF; cabe recurso na Corte Arbitral do Esporte

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, foi banido de todas as atividades ligadas ao futebol por 90 dias pelo Comitê de Ética da Fifa nesta sexta-feira. Por conta da punição, o cartola de 76 anos terá que deixar a presidência da entidade brasileira pelo menos até o dia 15 de março de 2018.

Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, está suspenso do futebol por 90 dias
Rafael Ribeiro / CBF

Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, está suspenso do futebol por 90 dias

De acordo com a organização, o dirigente desrespeitou os artigos 83 e 84 do Código de Ética da entidade que rege o futebol mundial. “Durante este período, Marco Polo Del Nero está banido de todas as atividades relacionadas ao futebol tanto em nível nacional quanto internacional. A punição passa a valer imediatamente”, escreveu a entidade máxima do futebol.

Por conta da suspensão, a princípio, Del Nero fica fora do futebol até o dia 15 de março de 2018, mas isso pode ser estendido até o dia 1º de maio, o que afetaria a ideia de realizar novas eleições em abril. A entidade deve, agora, decidir nos próximos meses se irá baní-lo em definitivo ou se aplicará apenas uma multa. O dirigente pode recorrer no Tribunal Arbitral dos Esportes, mas, para isso, terá que viajar à Suíça, o que o faria ser preso e extraditado para os EUA.

Investigação

A Fifa confirmou que as investigações contra o presidente afastado da CBF vão continuar, e que a punição contra ele pode aumentar para mais 45 dias. Del Nero vem sendo investigado pela Justiça norte-americana por fazer parte de um esquema de fraudes em contratos de transmissões de competições da América.

Ele chegou a ser indiciado por corrupção em 2015, mas mesmo assim decidiu se manter no cargo de comando do futebol brasileiro. Para não ser preso, optou por não sair do Brasil. No início da investigação, a Fifa afirmou que não teria como puní-lo por falta de provas,  entretanto, no julgamento de José Maria Marin, nos EUA, Del Nero foi citado e acusado de receber propinas de 6,5 milhões de dólares. Além disso, a defesa de Marin diz que Marco Polo Del Nero já mandava na CBF mesmo quando ele ainda era vice.

Fonte: IG esporte

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta