Preço do etanol cai para R$ 1,97 em Cuiabá

Motoristas de Cuiabá foram surpreendidos positivamente pela queda no preço do etanol. O litro, que até semana passada era encontrado por R$ 2,21 (segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis/ANP), nesta segunda-feira (27) “despencou” para R$ 1,99 e até R$ 1,97 em algumas revendas. Os valores são temporários, segundo os postos consultados, e serão válidos enquanto durar a baixa de preços nas distribuidoras, que fizeram uma “promoção” de fim de ano.

A promoção ajuda a aliviar as contas, segundo os consumidores, a exemplo da assistente social Jaqueline Figueiredo, que aproveitou a promoção e encheu o tanque no domingo (26) com o litro do etanol a R$ 1,99. “Toda promoção é bem vinda”.

A economia é perceptível. Com o litro do etanol a R$ 1,99, o consumidor consegue colocar 9 litros a mais no tanque em comparação com o maior preço encontrado nas revendas nesta segunda-feira, de R$ 2,42. A economia para abastecer um tanque de 40 litros chega a R$ 18, sendo, portanto, motivo de atração dos clientes e de formação de filas nos postos.

Pelo menos 3 redes de postos oferecem a promoção na Grande Cuiabá. Uma delas, a Amazônia Petróleo, oferta o produto a R$ 1,99. O gerente da rede, Antonio João Higa, informou que houve uma promoção realizada pela Distribuidora BR para algumas redes. A empresa realiza promoção nos 15 postos de Cuiabá e Várzea Grande e repassou para a bomba o desconto direto ao consumidor.

A campanha da BR é somente em Mato Grosso, porém não são em todos os postos de combustíveis. Higa afirmou ainda que não há previsão para finalizar a promoção com valor de R$ 1,99, pois depende da distribuidora. Porém, avisa que os preços deverão voltar ao valor normal logo após o término.

A mesma informação é compartilhada pelo administrador do Posto Manacá, de bandeira Ipiranga, que ofertou o produto a R$ 1,97 nesta segunda somente em dinheiro e débito. No cartão de crédito o preço é R$ 2,17. Max Rodrigues diz que a ação é movida pela “promoção de final de ano” da distribuidora, que baixou o preço para alavancar as vendas.

“Hoje fizemos esse preço, mas não sabemos até quando irá durar, porque assim que a distribuidora subir, o preço na bomba também subirá”.

Sem baixa nas usinas, o diretor-executivo do Sindipetróleo, Nelson Soares Junior, afirma que a promoção é pontual, motivada pela baixa no preço das distribuidoras. “O mercado é livre e como não teve queda no preço da indústria é uma ação temporária das distribuidoras motivada pelo livre mercado”.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta